Saúde

Ronco e Apneia podem levar a problemas graves de saúde

Ronco e Apneia

Você é daquelas pessoas que acordam todos os dias cansadas? Costuma sentir sono durante o dia, sente dores de cabeça de manhã ou tem dificuldade para perder peso? CUIDADO, pois, você pode estar sofrendo de algum distúrbio do sono como o ronco e a apneia e muitas vezes sem saber.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, 40% da população do planeta não dorme como gostaria. No Brasil, o número é ainda maior. Em uma pesquisa divulgada pela revista exame no ano passado, 63% dos brasileiros têm algum problema relacionado ao sono. O ronco e a apneia do sono (parada da respiração por mais de 10 segundos) estão entre os principais motivos da sonolência dessa fatia importante da população. E podem ser a origem de problemas graves de saúde como:

• Pressão alta (hipertensão arterial)
• Risco de AVC (acidente vascular cerebral)
• Batimento cardíaco irregular (arritmia cardíaca)
• Infarto do miocárdio
• Diabetes
• Obesidade
• Piora das dores
• Morte Súbita noturna entre outros.

Mas o que causa ronco e apneia? Quando estamos dormindo, as musculaturas do pescoço e da língua relaxam. Com isso, a passagem de ar pelas vias aéreas superiores diminui, causando uma vibração das estruturas e gerando um ruído, chamado de ronco. Quando essa obstrução é total, chamamos de apneia, ou seja, há a privação de oxigênio.

O diagnóstico é realizado através de um exame chamado polissonografia, que pode ser realizada em ambulatório ou no conforto do lar. Esse exame é indolor e monitora o sono através de sensores fixados na superfície da pele. Com esses dados, podemos analisar como foi o sono do paciente, diagnosticar o grau de ronco e apneia e, assim, determinar o tratamento mais indicado para cada caso.

Tratamento

Em casos de ronco ou apneia de graus moderado-leve, o tratamento poderá ser realizado pelo cirurgião-dentista, através de aparelhos intra-orais feitos especificamente para cada pessoa. O índice de efetividade delas é alto, assim como o conforto. Já na primeira noite de sono o paciente sente uma melhora significativa do quadro. O ronco diminui, assim como as dores de cabeça pela manhã e o sono durante o dia.